www.VALTV.org www.VALTV.org



Dom23112014

Back Notícias Entorno / Mundo MENINA É ASSEDIADA POR MÉDICO LEGISTA – LUZIÂNIA-GO

MENINA É ASSEDIADA POR MÉDICO LEGISTA – LUZIÂNIA-GO

  • PDF

Atualização: menina é asseduada por médico legista

A polícia corrigiu a informação preliminar concedida à imprensa sobre o caso de uma menina de 12 anos que teria sido estuprada por um médico legista em Luziânia, região metropolitana do Distrito Federal. Ela não havia sido estuprada quando foi fazer um exame de corpo delito no IML, mas teria sofrido algum tipo de violência física.

No entanto, ao ser consultada pelo legista, foi apalpada e assediada por ele. O suspeito foi preso pela polícia nesta tarde (17), no Gama, e está detido na 14ª Delegacia de Polícia.

O acusado, segundo testemunhos da menina, teria, após o exame, passado a ligar para seu telefone celular identificando-se como Anjo Rafael. A mãe da garota descobriu e acionou a polícia, com quem orquestrou um encontro com o suposto molestador, levando à prisão.

O médico legista seria casado e teria sido encontrado com ele material pornográfico infantil. Além de atuar no IML Luziânia, ele trabalharia também no Samu.

Aguarde mais informações

Fonte: Da redação do clicabrasilia.com.br - Publicação: Sexta-feira, 17/06/2011 às 17:11:31 - Atualização: 17/06/2011 às 17:52:59

 

Responsável pelas avaliações de estuprono IML de Luziânia é preso por abuso

O acusado, que atende ainda em Samambaia e no Samu, negou que tenha trocado mensagens com a vítima (Gabriella Furquim/Esp. CB/D.A Press)
O acusado, que atende ainda em Samambaia e no Samu, negou que tenha trocado mensagens com a vítima


Um médico da Secretaria de Segurança Pública de Goiás é suspeito de abusar de pacientes durante a realização de exames no Instituto Médico Legal (IML) de Luziânia (GO). Uma das vítimas é uma criança de 12 anos. O homem, de 32 anos, acabou preso na quinta-feira por investigadores da 14ª Delegacia de Polícia, no Gama, unidade à frente das investigações. Com o acusado, os agentes recolheram fotos de outras garotas submetidas a avaliações de conjunção carnal (necessárias para a comprovação de estupro).

Os investigadores chegaram a ele após ocorrência registrada pela mãe da menina. Ela flagrou mensagens do suspeito no celular da filha — em 26 de maio, a criança se submeteu a exames no IML de Luziânia por conta de um possível estupro no Novo Gama (GO). No dia seguinte ao procedimento, a mãe encontrou torpedos assinados pelo médico. “Ele dizia que estava com saudades, que queria ver ela de novo, que ela era linda”, contou o delegado-chefe da 14ª DP, Henrique Nogueira. “Ela (a vítima) descreveu o exame para a mãe, que desconfiou de certos procedimentos anormais. Pelo relato, ficou claro que o médico tinha cometido o abuso”, acrescentou.

Com o apoio da polícia, a mulher manteve contato com ele. Na última quinta-feira, marcou um encontro. Ele chegou ao local combinado, um ponto de ônibus próximo ao Estádio Bezerrão, no Gama, com um presente para a garota. A polícia o surpreendeu e ainda encontrou um computador e um pen drive no carro do acusado. Os aparelhos continham fotos pornográficas. E ele acabou detido em flagrante.

Segundo o delegado Nogueira, o material encontrado levou à suspeita de que o médico do IML de Luziânia tenha violentado outras pacientes. “Acredito que ele tenha feito mais vítimas e que novos casos vão surgir. Fragilizadas, as vítimas acreditavam que ele era policial e que o abuso fazia parte do exame”, contou.

Pena de 22 anos
O especialista foi apresentado à imprensa ontem, pela polícia. Limitou-se a dizer que apenas realizou os procedimentos necessários previstos em exames de conjunção carnal. E negou que tenha trocado mensagens de celular com a criança de 12 anos. Quanto às fotos encontradas no computador e no pen drive dele, alegou que fotografar pacientes é um procedimento corriqueiro no IML.

O delegado Nogueira informou que o detido trabalhava no IML de Luziânia desde o fim do ano passado. O médico também atendia no Posto de Saúde nº 4 de Samambaia e no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência no DF (Samu). Casado e pai de um bebê, o médico não tinha passagens na polícia. Ele responderá a processo por ter e armazenar imagens pornográficas de crianças e de adolescentes. Ele também será indiciado por assédio e por estupro de vulnerável (leia O que diz a lei). Somadas, as penas variam de 10 a 22 anos de cadeia.

O que diz a Lei:
Código Penal
Artigo 217-A. Ter conjunção carnal ou praticar outro ato libidinoso com menor de 14 anos. Pena: reclusão de 8 a 15 anos.

Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA)
Artigo 241-B. Adquirir, possuir ou armazenar, por qualquer meio, fotografia, vídeo ou outra forma de registro que contenha cena de sexo explícito ou pornográfica envolvendo criança ou adolescente. Pena: reclusão de 1 a 4 anos.

Artigo 241-D. Aliciar, assediar, instigar ou constranger, por qualquer meio de comunicação, criança, com o fim de com ela praticar ato libidinoso. Pena: reclusão de 1 a 3

Fonte: Correio Braziliense - Publicação: 18/06/2011 08:00 Atualização:


MENINA É ASSEDIADA POR MÉDICO LEGISTA – LUZIÂNIA-GO